|||

pode um desejo imenso

pode um desejo imenso

pode um desejo imenso
Livros Cotovia

ISBN: 9789727951710

Ano de Edição/ Reimpressão: 2006

N.º de Páginas: 476

pode um desejo imenso, editado como trilogia, transporta-nos para a um universo brilhantemente alicerçado no classicismo da literatura, através de constantes referências à lírica de Camões, e ao mesmo tempo para a essência da vida, com todas as perplexidades e angústias de um grupo de jovens recém-licenciados, para quem a competição por uma vida de sucesso assenta na constante inversão de lógicas, mais ou menos esperadas, que revestem este romance de uma compulsividade rara na nossa literatura. Sem que seja fundamental a compreensão do universo camoniano para a leitura da obra, esta constitui, como referência o autor no postfácio da obra, uma importante chave de descodificação dos elementos chave do romance.

Esta bela trilogia, composta por O curso das estrelas, Pode um desejo imenso e À beira do mundo, começa por nos situar no seio de um grupo de recém-licenciados, o grupo da Lírica”, que coloca todo o seu investimento de investigação no objetivo, que se torna ao longo do romance difuso, de publicar um ensaio crítico das Rimas de Camões. Em O curso das estrelas, Frederico Lourenço conta, na pessoa da personagem Nuno Galvão, o dilema de um jovem dividido entre a assunção da sua homosexualidade e o dilema que representa o rompimento com Helena, também ela uma presença na faculdade de letras, onde Nuno trabalha, como assistente. Esta divisão de Nuno Galvão torna-se cada vez menos presente, dando lugar à decisão final de assumir a sua própria natureza. Uma semi-decisão, uma vez que Nuno a esconde de seu pai, uma figura distante em todo o romance, revelando-a apenas a sua mãe, que está para os alicerces de Nuno como para a força de todo o fio narrativo.

A tensão existente entre Nuno e Helena é utilizada para nos revelar pormenores sórdidos e, ao mesmo tempo, deliciosos da vida da família de Helena, uma família de alta sociedade que priva com uma outra família capaz de rivalizar em caprichos, na Serra da Arrábida. A exploração das tensões é, como atrás refiro, um dos pontos que nos confronta com a verdadeira dimensão humana da obra. Aliás, a ligação de Nuno com Helena e a sua família é uma constante ao longo de toda a narrativa. Já a sua mãe surge ao longo da obra como um verdadeiro esteio, embora Nuno dê a entender sempre o contrário. Nesta contradição entre o que sente e o que manifesta, Nuno vai consubstanciando a sua fragilidade. Primero, por nunca perdoar a Vicente, a sua primeira paixão, a decisão de se casar com Rosália, embora a reboque de uma falsa gravidez. Depois, por ver morrer o que terá sido o grande amor de Nuno: Filipe. Esta paixão de Nuno centra-se em Pode um desejo imenso.

Há outras personagens no romance que contribuem para o adensar de ligações cruzadas, subtis, e que fazem com que a literatura seja introduzida de uma forma perene, constituindo um denominador comum tão inteligentemente explorado. O professor Mendes e o professor Barroso, caricaturalmente tratados como D.Quixote e Sancho Pança, são duas personalidades em permanente confronto, transversais a toda a primeira parte do romance, e que estabelecem perfeitamente a plataforma ideal que serve de base à separação de Nuno e Vicente. Outra personagem importante, a Drª Eulália, contribui para a ideia estabelecida da rejeição. Admiradora de D.Quixote e, simultaneamente de Sancho Pança, está constantemente a recorrer a baixas médicas que são o reflexo da indiferença de ambos.

Está assim criado um cenário em que o poder da informação e contra-informação determinam o que será o ponto de partida para um caminhar atribulado rumo a um final inicialmente inesperado, mas que vai tomando forma à medida que o curso das páginas de desenha.

À beira do mundo fecha a trilogia com chave de ouro. Numa geografia que se centra em Lisboa, se estende para a Arrábida e para Braga, pode um desejo imenso é uma trilogia que se lê compulsivamente, que nos confronta com a beleza dos sentimentos humanos, nos perturba na nossas convicções estereotipadas e que nos comove. É um romance intemporal, feito de pormenores tão reais quanto fabricados de realidades, num misto de angústia, humor e riqueza de linguagem admirável.

Up next viagem ao interior do nada A Heartbreaking Work of Staggering Genius
Latest posts A Heartbreaking Work of Staggering Genius pode um desejo imenso viagem ao interior do nada sábado que passou Unnamed Road (by Jungjin Lee) a rússia é eternamente fria A reprodutibilidade da obra de arte “virtual” The invisible Republic of the Internet Rosas danst Rosas GUIMARÃES - CIDADE VISÍVEL #1 A CONSTRUÇÃO ILUSÓRIA DO “EU”* China Short Stories #2 O sistema de rede: um novo paradigma A inevitabilidade dualista da relação corpo/mente A nostalgia do tempo ou a ausência do mito untitled El panteix, el desmai El que sento no pateix desgast de temps o tempo perdeu a poesia o olho que se fecha A falsa oposição entre cultura e técnica questões em torno da democracia digital Blade Runner — A Nostalgia do Futuro A experiência do sublime na obra de Caspar David Friedrich A nova geografia do espaço público nuvem de pó o meu primeiro trabalho Da Cibercultura às Indústrias Culturais Suportes digitais: memória ou esquecimento? Cibercidades: um novo espaço público? Moisés Mori